Luciano Coppini – Etiqueta para Entrevista de Emprego
novembro 9, 2015
Coisas que a faculdade não te ensinou
novembro 20, 2015

Ansiedade e Foco

O tema recorrente que volto a tratar vem de encontro a um fenômeno cíclico que dificulta planejamentos, promove atitudes impulsivas e frustra resultados na vida de muita gente. Afinal, nada mais antigo e atual do que falar da ansiedade como combustível determinante na influencia de nosso comportamento. E apesar de não ser novidade para (quase) ninguém, é cada vez mais desafiador aprender a dosar esse estado mental de forma a não fugir do controle. Pois aí sim, temos um grande problema.

Uma pessoa focada sabe aonde quer chegar. Uma pessoa focada e ansiosa em demasia sabe aonde quer chegar, porém está muito mais suscetível a ter problemas no caminho do seu sucesso. Isso se deve ao fato de que condições psicológicas adversas possivelmente vão conviver com ela em sua trajetória. Coisas do tipo: afobação, medo, estranheza, apreensão, mal-estar, insegurança, desconforto, etc. Não que existam pessoas imunes a essas reações, isso é impossível. Contudo, quem consegue controlar mais, tem mais chances de se dar bem.

A medida da interferência da ansiedade na construção e caminho de sonhos, sejam pessoais ou profissionais, tem muito a ver com o estilo de vida que se leva. Os hábitos são nosso termômetro para se alinhar comportamento e resultado final. Muitos não sabem disso, por isso a dificuldade em se aceitar mudanças na forma de conduzir as rotinas. Apenas para ilustrar essa lógica: uma pessoa que pratica exercícios físicos regularmente, está menos vulnerável a sofrer com a ansiedade do que uma pessoa sedentária. Isso tem uma explicação biológica, pois o corpo produz substâncias e hormônios que geram sensação de bem estar, o que combate pensamentos ansiosos. Por outro lado, é evidente que para ter um hábito saudável, a pessoa precisa estar disposta a fazer os exercícios. Caso contrário, será mais um castigo do que uma boa alternativa.

Presencio, com certa frequência, situações de estresse que influenciam, de maneira avassaladora, relacionamentos e formas de agir. Se você convive diariamente em ambientes assim, más noticias. Sua ansiedade vai subir, e por muitas vezes, você nem vai perceber. A minha recomendação, sempre, é que se tente diminuir, o máximo possível, o contato com essa tensão. Hoje existem muitas técnicas auxiliares que se tornam um bom recurso para alívio do estresse, como controle da respiração, exercícios corporais (ioga, pilates, entre outros) ou até mesmo a boa e velha massagem.

Outras dicas importantes para não fazer da ansiedade seu guia de sucesso: cuide bem da sua alimentação, ela vai lhe proporcionar uma condição de saúde corporal necessária para cuidar também da sua saúde mental. Evite, de forma persistente, os pensamentos negativos. Há sempre a possibilidade de se abstrair uma essência positiva de um problema. Não é uma tarefa fácil, mas quando tentamos identificar um aspecto positivo de um contexto ruim, estamos fazendo o nosso cérebro pensar de maneira mais abrangente. Isso sempre é bom! E, claro, invista nos bons relacionamentos. Estar cercado de pessoas que você confia e admira, lhe traz menos preocupações. Logo, você será alguém menos ansioso.

 

Hélder Aguero é psicólogo, especialista em gestão de pessoas, coach, consultor de Recursos Humanos e atualmente é gerente da Unidade da Coppini Estratégias Empresariais em Dourados-MS