5 dicas para ser o candidato que as empresas procuram
fevereiro 4, 2016
Convite ao Pensamento
fevereiro 25, 2016

Em tempos de crise, cada um se vira como dá!

Tentando driblar as dificuldades nenhum outro povo se sai tão bem em matéria de criatividade. Criatividade esta, voltada especialmente para sobreviver! Novas modalidades de negócio, oportunidades que surgem da miséria, sorrisos da desgraça. Povo tão sofrido quanto guerreiro, povo de inteligência nata e conformidade “burra”.

Enfim, para aqueles que podem considerar-se privilegiados é que quero falar: Privilégio de ser empresário no Brasil, absurdamente paradoxal!  Classe média esmagada, carga tributária desumana… Privilégio por pagar a duras penas um plano de saúde para sua família, privilégio por seus filhos frequentarem escolas particulares, por economizarem durante o ano todo para passar alguns dias na praia durante o verão.

Já passou o carnaval já veio o IPTU e o IPVA. É hora de rebolarmos para que nossas empresas resistam por mais um ano. Não venho com discurso da hora da morte, afinal somos especialistas em “tirar leite de pedra”.

A realidade é que as coisas apertaram muito nos últimos tempos, estamos todos aprendendo a trabalhar da forma mais enxuta possível. Cortam-se as gorduras, reduzem-se os custos.

Mas espera aí…

“Sem opção de produto não há venda”

“Ninguém compra de empresa decadente”

“Com atendimento ruim a tendência é queda no faturamento”

“Sem mão de obra não se presta serviço”

“Quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?!”

Limite tênue e tenso. “Se não há investimento não há retorno, mas como investir?”

Pergunta errada. A questão é: Qual é o investimento certo para minha empresa?

Com os pés no chão, e olhar crítico desenhamos o cenário atual do nosso negócio.

É a partir dele que criamos mais três cenários novos, um otimista, um realista e por fim um pessimista. Para cada um, uma estratégia de investimento. Assim o risco de ser pego de surpresa é bastante minimizado.

Porém atente-se a ao significado de INVESTIMENTO, nem sempre ele tem a ver diretamente com finanças. Ao longo da vida investimos em muitas coisas, investimos em pessoas, em relacionamentos, em sonhos. Investimos nosso tempo, investimos nossa energia, investimos nosso conhecimento.

Exemplo: Se seu quadro de colaboradores é de 20 pessoas e os cortes são necessários, OK. Isso é fato! Então saiba eleger os 10 com maior potencial. Invista neles, ofereça condições para que estes trabalhem em potencia máxima.

Se seu horário de trabalho é até às 18hs, invista seu tempo e se dedique para atender aquele público que só pode ir até você às 19hs.

Se seu restaurante funciona em sistema de Buffet, que tal investir no ramo de marmitas a domicílio…

Seja qual for o investimento certo para o seu negócio, uma única verdade é inegável:

Nunca invista em algo ou em alguém que não acredite. Ao agirmos no piloto automático corremos este o risco.  Pense, planeje, projete, não importa se seu investimento será dinheiro, sonho ou trabalho. Só invista em quem, e no que, tem potencial de fato.

 

Jheruza Duailibi, responsável pelo marketing da COPPINI, é formada em publicidade e propaganda pela Universidade Católica  Dom Bosco. Estudou marketing em Madrid – Espanha, no Instituto Europeu de Ensino Superior e fez pós- graduação em comércio exterior.