Sua equipe comercial vai bem? Acompanhe estas métricas para descobrir
junho 16, 2016
Por que é tal difícil implantar o Feedback nas empresas?
junho 30, 2016

Empresas Familiares – tudo conversado, nada decidido!

Quando aquele sonho de alguém cresce, se torna realidade.  Mais do que isso se torna a vida desta pessoa. Em um determinado momento se percebe que neste barco já estão esposa, filhos, noras, netos, sobrinhos… Assim, nascem as empresas familiares!

Quem planejou tudo isso?

O sonho era meu.  Será que se tornou o deles?

Posso dar uma força para aquele sobrinho que não arruma emprego?

E por aí vai, esse é só o começo de uma possível grande confusão. Mas calma, tem solução!

Quem já escutou o ditado: O que é combinado não é caro!  Mais ou menos isso. No mundo dos negócios, certamente essa não seria a frase que utilizaríamos, poderíamos rebuscá-la com termos inclusive em inglês, mas me sinto melhor compreendida sendo coloquial e objetiva!

E é exatamente desta forma que tem que ser. Empresas familiares são uma realidade que na maioria das vezes não chegam a terceira geração.  Certas demandas surgem ao longo dos anos de historia e a empresa precisa se reinventar de acordo com elas.

Hoje as transformações no mercado, nos produtos, na forma de comercialização, na própria gestão acontecem em velocidade recorde e o que se estudou a poucos três ou quatro anos atrás talvez já não se encaixe mais em seu modelo de empresa.

O que dizer então de uma empresa com 30 anos de estrada? Ter anos de história não significa ter ser uma empresa velha ou antiquada, tendo maior relação com os propósitos da empresa, seus valores e sua cultura, por que esse tipo de coisa, assim como acontece com as pessoas, vem muito mais do espirito que se tem, do que propriamente de há quanto anos você nasceu!

Empresas familiares estão todo o tempo recebendo informações de sucessores jovens e que na maioria das vezes chegam cheios de ideias novas para serem implementadas amanhã, com a urgência própria dos tempos atuais aliada a imprudência da idade.

A organização ainda pode esbarrar no desafio de driblar os próprios sentimentos  de irmandade que existem nas empresas familiares. A diretora é sua tia, o presidente é o seu pai e ainda tem aquele primo acomodado ocupando um cargo que nem todos acham que foi conquistado por meritocracia!

Neste momento é bem possível que você, gestor de uma empresa familiar,esteja pensando que não foi uma boa ideia ler esse texto, já que está com a sensação de que  impotência aumentou. Desculpe, não era essa a intensão.

Meu desejo é fazer com que você olhe com olhos de realidade para o seu negócio, conhecer os desafios do mesmo te preparar melhor para superá-los.

Mas sinto muito em dizer com toda a sinceridade que definitivamente, ninguém te dará uma receita pronta de sucesso!

Simplesmente por que nem uma outra empresa vive a realidade da sua família. Outras empresas podem viver situações semelhantes mas nem uma delas te dói como a sua.  Pensando pelo lado bom, isso também é libertador, se perceber que se não há receita, também não há certo ou errado!

Existe o que funciona para a sua realidade e o que não funciona, aí chegamos na questão que comentei anteriormente, sobre regras e combinados muito claros!  Faz sentido para você que independente do teor da regra, o fato dela existir já pauta uma conduta, defini uma estrutura, dá segurança e modelagem aos envolvidos? Partindo do princípio que os padrões foram criados pelos membros condutores da instituição, logo se acredita que os mesmos partilhem desta opinião ou ao menos que tenham se dobrado a ela, então…

Outros pontos importantes a serem  mencionados são: Competência, Força de trabalho, Perfil…

Empresas podem ser frutos de sonhos, mas somente sonhos não são empresas! Por isso atenção, ter uma ótima relação com seu irmão não significa que ele tenha habilidades para assumir um cargo que necessite conhecimentos técnicos.  Seu filho que faz medicina talvez não deseje assumir a parte comercial de sua empresa. Ser sucessor natural não implica em obrigatoriamente em ter nascido para coisa, da mesma forma que ter vontade não é diretamente proporcional a ter competência.

Um plano estruturado de estudos e preparo para galgar seu lugar ao sol, ajuda e agrega valor ao processo. Já que ninguém minimamente equilibrado deseja ocupar o cargo vazio de ser filho do dono! Da mesma forma que não se pode tirar do filho do dono o direto a ser sim competente, preparado, habilidoso e com  perfeitas condições de fazer um excelente trabalho pela empresa .

 

Jheruza Duailibi, coach, também responsável pelo marketing da COPPINI,  é formada em publicidade e propaganda pela Universidade Católica  Dom Bosco. Estudou marketing em Madrid – Espanha, no Instituto Europeu de Ensino Superior, com pós- graduação em comércio exterior e formação em coach pelo IBC. – See more at: http://portalcoppini.com.br/7-atitudes-capazes-de-mudar-sua-vida/#sthash.skpnDNz9.dpuf